Sábado, 28 de Maio de 2022 04:13
(71) 99256-3530
CRIME TERROR

“Os piores dias da minha vida”, diz jornalista torturada pelo namorado

Investigações indicam que Fred Henrique Lima Moreira usou cassetete e soco-inglês para agredir e manter jornalista em cárcere privado

06/05/2022 14h15
198
Por: Redação Fonte: Metrópoles
Foto: Reprodução/Polícia Civil
Foto: Reprodução/Polícia Civil

Rio de Janeiro – Torturada e mantida em cárcere pelo namorado por três dias, a jornalista Ana Luiza Dias, de 37 anos, afirmou que desde o início do relacionamento ele demonstrava ser ciumento e agressivo. Segundo ela, o agressor, Fred Henrique Lima Moreira, tinha costume de mexer em seu celular para ver a interação dela nas redes sociais.

Em relato ao jornal O Globo, a jornalista disse que os dias em que esteve em cárcere privado, em Copacabana, zona sul do Rio, foram os piores de sua vida. De acordo com ela, o abuso começou depois de ele ver as mensagens no celular porque era quando começava a manipulação e as ameaças.

A primeira agressão física, segundo ela, veio perto do Natal e também foi motivada pelo celular. “Ele tinha a senha e, se eu não mostrasse, dava briga. Ele me deu um soco no rosto, passei o Réveillon de olho roxo, tendo que esconder os hematomas com maquiagem”, relembra.

Ela diz que tinha tanto medo que chegava em casa e trancava as três portas. “Dias depois da primeira agressão física, ele prometeu que nunca mais ia fazer. Até que, na semana passada, começaram as torturas nos dias que, com certeza, foram os piores da minha vida. Quando me batia, dizia que a fechadura estava aberta, então eu tentava sair e ele me puxava de volta pelos cabelos”, relata. “Acredito que ele realmente ia me matar”, completa.

Agressão verbal

Segundo ela, o namorado a chamava de feia, chata, gorda, burra, fedorenta. “Dizia que nunca conheceu uma mulher mais estúpida que eu”, completa a vítima.

Ana Luiza explica que Henrique contava histórias tristes relacionadas à família e que dizia sofrer “muito bullying por ser gordo”. Por isso, ela acabava o desculpando.

Fred foi preso por agentes da 12ª DP na última terça-feira (3/5), por tentativa de feminicídio, estupro, cárcere privado e tortura. Ele foi preso em casa, não ofereceu resistência e com ele foi encontrado o cassetete, um simulacro de pistola e o soco inglês, que teriam sido utilizados durante as agressões.

Perfil agressivo e ficha criminal

Fred Henrique Lima Moreira já foi preso ao menos três vezes. Em sua ficha criminal constam três anotações de violência doméstica, tráfico de drogas, associação ao tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, ameaça e desacato.

Em 2011, foi acusado de agredir a mãe de um de seus filhos. À polícia, a vítima contou que, após uma crise de ciúmes, Fred a xingou, socou seu rosto e corpo e, em um ato de extrema crueldade, teria esquentado uma panela vazia no fogo e colocado na perna e costas dela. As informações são do G1.

Já em 2020, assinou um Termo Circunstanciado se comprometendo a comparecer à Justiça por agredir com socos e golpes de telefone uma namorada.

Segundo o G1, ela disse que, durante as agressões, foi obrigada a fazer sexo oral em Fred, que teria filmado o ato. No mesmo ano, agrediu e privou de liberdade a mãe de seu outro filho. No cárcere, a mulher foi espancada, levou choques e vassouradas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias