Terça, 25 de Janeiro de 2022 17:50
(71) 99256-3530
POLÍTICA BLOQUEIO

TSE bloqueou R$ 1,2 milhão de canais bolsonaristas investigados por ataques ao sistema eleitoral

Em agosto, o tribunal suspendeu repasses de dinheiro das redes sociais para canais investigados por 'fake news' sobre eleições. A PF trabalha para identificar os financiadores

10/12/2021 15h35
192
Por: Redação Fonte: G1
Foto: Arquivo/AG Senado
Foto: Arquivo/AG Senado

Canais bolsonaristas investigados por disseminar "fake news" e ataques ao sistema de votação do país tiveram R$ 1,2 milhão bloqueados por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O valor seria repassado pelas redes sociais para canais, páginas e sites bolsonaristas alvos de uma investigação por propagarem "fake news" sobre as urnas eletrônicas.

A campanha desses canais contra as urnas eletrônicas ocorreu em meio a ataques do presidente Jair Bolsonaro contra o sistema de votação brasileiro.

A verba bloqueada está depositada numa conta judicial até o fim das investigações. A TV Globo apurou que a PF trabalha para identificar os financiadores e quem está por trás da divulgação em massa de "fake news".

Para investigadores, quanto mais atacam as instituições e o sistema eleitoral, mais proveito econômico os envolvidos conseguem.

Os valores envolvem a monetização (pagamentos feitos pelas redes sociais) e a arrecadação dos canais com propaganda.

Ao menos 11 apoiadores do presidente Jair Bolsonaro foram afetados pela ordem. Entre os canais já identificados, está o de Allan dos Santos, blogueiro bolsonarista que já teve várias contas bloqueadas em redes sociais e é alvo de uma ordem de prisão e um pedido de extradição determinado pelo Supremo Tribunal Federal.

Bloqueio

Em agosto, o TSE atendeu a um pedido da Polícia Federal, que investiga a organização e financiamento de ataques ao sistema eleitoral, e determinou o bloqueio dos repasses.

A PF identificou uma engenharia supostamente criminosa que, segundo as investigações, transformou em negócio a divulgação de mentiras sobre as urnas.

A Polícia Federal afirmou ao TSE que canais bolsonaristas nas redes sociais atuam com o objetivo de diminuir a fronteira entre o que é verdade e o que é mentira. E usam como estratégia ataques aos veículos tradicionais de informação. Esse método também foi aplicado na campanha contra as urnas eletrônicas.

A PF identificou que os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro replicam uma estratégia de comunicação utilizada nas eleições de 2016 nos Estados Unidos, atribuída a Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, e também na eleição presidencial vencida por Bolsonaro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias