Sexta, 17 de Setembro de 2021 10:09
(71) 99256-3530
Dólar comercial R$ 5,29 0.538%
Euro R$ 6,23 +0.788%
Peso Argentino R$ 0,05 +0.533%
Bitcoin R$ 266.632,45 +2.269%
Bovespa 113.794,28 pontos 0%
ECONOMIA BANCOS

Com investimento de US$ 500 milhões, Nubank se torna o maior banco digital autônomo do mundo

Segundo o Nubank, o capital será usado para aumentar oferta de produtos e na expansão internacional da empresa

08/06/2021 14h58
351
Por: Redação Fonte: O Globo
Foto: Paulo Whitaker/Reuters
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

O Nubank anunciou nesta terça-feira ter recebido um aporte de US$ 500 milhões da Berkshire Hathaway, a gestora do bilionário Warren Buffett, e outros US$ 250 milhões da americana Sands Capital em parceria com as brasileiras Verde Asset e Absoluto Partners. Com isso, o banco digital brasileiro, start-up considerada um "unicórnio" por ter ultrapassado a valorização de US$ 1 bilhão em 2018, atinge agora valor de mercado de US$ 30 bilhões.

A operação coloca o Nubank na posição de quarto banco mais valioso da América Latina, na casa dos R$ 150 bilhões. A instituição, assim, só vale menos que o Itaú (cerca de R$ 280 bilhões), o Bradesco (R$ 230 bilhões) e o Santander Brasil (R$ 170 bilhões), segundo dados da Empiricus.

Está na frente do Banco do Brasil (R$ 103 bilhões) e de instituições financeiras como XP (R$ 115 bilhões) e BTG (R$ 112 bilhões).

Para muitos analistas, isso é um indicativo se que o Nubank, em breve, deverá abrir seu capital. O perfil dos novos investidores, que atuam mais em Bolsas de valores, seria uma sinalização deste provável futuro movimento.

Buffet é um dos homens mais ricos do planeta, com fortuna superior a US$ 100 bilhões. Tem negócios em sociedade com o 3G, fundo do também bilionário brasileiro Paulo Lemann. Mas investimentos diretos pelo americano em empresas brasileiras são raros, o que mostra o bom momento do Nubank.

Maior banco digital autônomo do mundo

O Nubank se diz o maior banco digital autônomo no mundo e com a maior carteira de clientes: 40 milhões de correntistas. Nos cinco primeiros meses do ano, a instituição conseguiu crescer a um ritmo de 45 mil novos clientes por dia.

Além disso, dentro de sua nova estratégia de seguros, o Nubank - que também atua na Colômbia e no México - somou 100 mil apólices em três meses.

O desempenho no Nubank é visto com cautela por analistas. Para Max Bohm, da Empiricus, faltam fundamentos claros para que o banco valha mais que XP, BTG ou Banco do Brasil

- A questão é que estamos falando de um banco que tem apenas prejuízos. Não vejo fundamentos para que uma instituição que deva ter uma nova perda anual na casa dos R$ 300 milhões valer mais que outras que lucram bilhões - disse ele.

Bohm acredita que é preciso ver qual a motivação dos fundos que fizeram os aportes: acreditam que o Nubank vai se valorizar ainda mais ou apenas estão pensando em uma eventual abertura de mercado da empresa?

Se a ida à Bolsa ocorrer em uns 12 meses, como estima o mercado, conseguirão obter uma boa rentabilidade por esses aportes?

Bohm aposta na segunda opção. Para ele, o Nubank terá muita dificuldade de obter rentabilidade, pois, para isso, teria que passar a cobrar por produtos e serviços em um ambiente de alta competição, onde seus clientes poderiam migrar facilmente para outras instituições como Banco Inter ou Picpay.

Apesar de estar ampliando a gama de serviços, o Nubank ainda não teria, em sua opinião, uma gama de clientes tão fiel quanto às instituições tradicionais do país.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias