Sexta, 07 de Maio de 2021 17:11
(71) 99256-3530
Dólar comercial R$ 5,23 -0.93%
Euro R$ 6,36 -0.05%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.97%
Bitcoin R$ 319.031,02 +2.313%
Bovespa 121.759,25 pontos +1.53%
ECONOMIA PRIVATIZAÇÕES

Câmara aprova projeto que abre caminho para privatização dos Correios

Por 280 votos favoráveis e 165 contrários, deputados chancelam proposta que autoriza a participação da iniciativa privada na prestação de serviços postais. Governo e oposição divergem, no entanto, sobre a privatização da estatal

21/04/2021 09h12
178
Por: Redação Fonte: Correio Braziliense
Foto: Breno Fortes/CB/D.A Press
Foto: Breno Fortes/CB/D.A Press

Nessa terça-feira (20/4), a Câmara dos Deputados votou em caráter de urgência o projeto que facilita a privatização dos Correios. Foram 280 votos favoráveis, 165 contrários e 1 abstenção. Embora não trate explicitamente da venda da estatal, a proposta foi alvo de discordância entre parlamentares.

Assunto do Projeto de Lei (PL) 591/21, a discussão foi colocada na pauta de hoje pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O texto do PL autoriza que serviços postais sejam explorados pela iniciativa privada, como são prestados pelos Correios atualmente — empresa 100% pública.

O texto determina, ainda, que a União mantenha para si uma parte dos serviços, chamada na proposta de “serviço postal universal”. Isso inclui encomendas simples, cartas e telegramas.

Embora não trate expressamente sobre a venda da estatal, o PL é considerado sinal verde para a quebra do controle do estado sobre os serviços postais sob domínio dos Correios.

Debate

O projeto é alvo de discordância na Câmara. O governo alega que os Correios não têm condições financeiras de melhorar os serviços voltados à população. E por isso defende mudança no marco legal dos serviços postais. O deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM) alega que “o governo tem uma pauta liberal, e os setores têm de ser privatizados e regulados pelo governo”.

Já Henrique Fontana (PT-RS) menciona o lucro bilionário dos Correios em 2020 para argumentar contra a privatização da estatal. “Em vez de o país ganhar dinheiro, modernizar as atividades dos Correios, em vez de nos espelharmos em mais de 80% dos países com serviços nacionais de correio, aqui a prioridade é vender o patrimônio público na bacia das almas”, criticou.

O deputado Gil Cutrim (Republicanos-MA), escolhido para ser o relator da proposta, afirmou que vai expandir o diálogo com os todos os parlamentares envolvidos, de modo a construir um novo texto.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias