Sexta, 07 de Maio de 2021 17:10
(71) 99256-3530
CRIME RACISMO

Mulher é presa após chamar passageiro de 'macaco fedorento' em ônibus

Caso foi no litoral de SP; cena foi filmada por testemunhas

12/04/2021 14h54 Atualizada há 4 semanas
320
Por: Redação Fonte: Correio 24h
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma mulher foi presa em flagrante depois de atacar um passageiro com ofensas racistas dentro de um ônibus em Praia Grande, no litoral de São Paulo. 

O autônomo de 29 anos, que prefere não se identificar, contou ao G1 que estava conversando com a esposa dentro do ônibus quando os ataques começaram, no sábado (10). Parte da cena foi gravada.

As imagens mostram a mulher dizendo: "Macaco. Macaco fedorento. Tu não presta, tu é preto da senzala. Crioulo fedido. Tira os óculos e vai catar papelão, vaga...".

O rapaz contou que nem notou inicialmente as ofensas, mas um outro passageiro o avisou que os xingamentos proferidos pela mulher eram para ele. A essa altura, ele estava a cerca de 10 minutos no coletivo. "Eu olhei sem entender e, quando virei para trás, a moça simplesmente, gratuitamente, me olhou e falou 'é com você que estou falando mesmo, seu macaco", relata.

Ele questionou se era com ele mesmo e ela reforçou, novamente chamando-o de macaco. Ele disse que travou, sem conseguir assimilar o que estava acontecendo. "Minha mulher já levantou e a questionou, momento que a moça também a xingou de vaga...", diz.

A passageira tentou sair do ônibus, mas ele e a mulher não desceram. "Eu travei a passagem, sem encostar nela, e falei que ela não sairia enquanto a polícia não chegasse".

A mulher dele pediu que o motorista parasse o ônibus, porque iria chamar a polícia. Um dos passageiros acionou a Polícia Militar. A vítima conta que quando travou a passagem da mulher, ela alegou que ele tentava assaltá-la. 

"Falou que eu era imundo, além dos outros xingamentos. Eu não a ofendi, apenas falei 'espera a viatura chegar'. Então ela disse 'quando a viatura chegar você vai preso', quando perguntei o porquê, ela respondeu 'porque você é preto, macaco, da senzala e tem que estar na cadeia", relembra.

Ele contou que buscou manter a calma, embora tenha se sentido mal e impotente diante da cena. "Eu já sofri racismo outra vez, mas dessa vez não poderia deixar de denunciar. Nada justifica um ato racista, é um ódio gratuito", afirma.

Passageiros que viram a cena dizem que ele chorou enquanto era chamado de "macaco" e "negrinho da senzala", entre outros. 

O caso foi registrado como injúria racial na 1ª Delegacia de Praia Grande, onde a mulher ficou presa em flagrante.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias