Domingo, 07 de Março de 2021 20:33
(71) 99256-3530
SAÚDE COVID-19

Covid-19: 'Início da vacinação não é passe livre', diz pesquisador da UnB sobre aglomerações no carnaval

Grupo de especialistas da universidade alerta sobre riscos de festas durante período. 'Não é hora de aglomerar', alertam cientistas

13/02/2021 17h00
138
Por: Redação Fonte: G1
Foto: Renato Araújo/Agência Brasília
Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) fazem um alerta para o período de carnaval, em meio à pandemia de Covid-19: a ocorrência de aglomerações pode agravar a situação causada pelo novo coronavírus na capital.

O aviso é da Sala de Situação da UnB, que reúne um grupo voltado ao enfrentamento de emergências de saúde pública. Segundo o vice-coordenador da iniciativa, o epidemiologista Mauro Sanchez, "é importante lembrar que o início da vacinação não é passe livre e nem motivo para o relaxamento das medidas de prevenção".

Sanchez afirma que, neste primeiro momento da vacinação, "a tentativa é diminuir o número de pessoas que adoecerá e que pode evoluir para um quadro mais grave, como os idosos, para proteger a capacidade do sistema de saúde". O pesquisador alerta que o distanciamento e as medidas de prevenção continuam sendo a melhor forma de evitar o contágio.

"Para a população em geral, nada mudou ainda. Se nada mudou ainda, não é hora de aglomerar", diz o cientista.

Medidas de segurança

Os pesquisadores citam que as festas no DF e em outras unidades da federação já foram proibidas por conta do alto número de infecções pelo vírus. No entanto, afirmam que o perigo continua.

"As aglomerações que ocorreram com as comemorações no fim de 2020 geraram um considerável aumento no número de casos de coronavírus que continuam a preocupar os especialistas também nesta época do ano", diz o grupo, em nota.

Segundo os especialistas, os principais cuidados a serem seguidos são:

  • Uso de máscara

  • Distanciamento social

  • Boa ventilação dos ambientes

  • Higiene das mãos com sabão ou álcool 70%

  • Não tocar o rosto com as mãos sem higienizá-las antes

O grupo afirma esperar que "a cobertura vacinal da população aumente para que se chegue a um nível que, de fato, a população possa viver o que se tem chamado de 'nova normalidade'". No entanto, diz que, até lá, "é importante ter consciência que não se pode deixar de lado as medidas já conhecidas e que funcionam para evitar a proliferação do vírus e o contágio entre as pessoas".

"Não se descuidem que ainda não é o momento. Em breve a gente poderá voltar a estar mais próximo, com a família e amigos, e ter o contato físico que todos sentem falta", afirma Mauro Sanchez.

Carnaval em meio à pandemia

Na quinta-feira (11), o governador Ibaneis Rocha (MDB) proibiu a realização de festas e eventos carnavalescos entre os dias 12 e 21 de fevereiro na capital. O decreto prevê multa de, no mínimo, R$ 20 mil para quem desrespeitar a regra.

Quem descumprir a norma também pode responder por crime de infração sanitária, que será apurado pela "autoridade policial competente". Apesar de ter cancelado os eventos, o governador manteve o ponto facultativo para a data.

Em novembro, outro decreto publicado pelo Executivo cancelou as festas públicas de réveillon de 2020 e do carnaval deste ano. A medida também foi para enfrentar a disseminação do novo coronavírus.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias